Ocultar

Esqueceu sua senha?

Ocultar

Ocultar

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha.

Voltar ao Login

Fechar
Banner Blog

Blog

Vamos semanalmente falar de algo que estiver em evidência em nosso estado, nas áreas que atuamos no nosso Portal!

Compartilhar página

quarta-feira, 27 de maio de 2020 - Pantanal
Cavalo Pantaneiro - Raça se adaptou ao Pantanal
Você sabe o que é o Cavalo Pantaneiro? Segundo a Embrapa, a raça de animal é a que mais se adaptou ao ambiente quente e úmido e às longas distâncias da planície pantaneira. Por conta dessas características, os cavalos pantaneiros são bastante procurados e valorizados na região do Pantanal, nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.A origem dos animais se deu devido aos cavalos Ibéricos trazidos ao Brasil na época da colonização e após se adaptarem às condições do Pantanal e passaram por um processo de seleção natural, os animais se multiplicaram.Entre os motivos pelos quais os cavalos pantaneiros são tão importantes para o homem no Pantanal estão: lida do gado (principal atividade econômica da região), meio de locomoção para os habitantes da região, seu valor genético, além dos mesmos estarem sendo utilizados para cavalgadas de visitantes e turismo rural, no qual os turistas vivenciam um pouco da rotina do Homem PantaneiroAlgumas das características gerais do Cavalo Pantaneiro:Pelagem – Qualquer uma, exceto a albina;Altura – Mínima de 1,40m para machos, e mínimo de 1,35m para fêmea;Forma – Porte médio, com linhas harmoniosas, leves em suas aparências gerais e com musculatura bem definida;Constituição – Robusta e sadia, ossos resistentes, articulações e tendões bem definidos, sem taras;Temperamento – Vivo, altivo e dócil.Cavalos pantaneiros são dóceis e resistentes. Foto: Divulgação / ABCCP.Além beleza para exposições, segundo a pesquisadora da Embrapa Pantanal, Sandra Santos, o homem pantaneiro faz questão de preservar as características do cavalo pantaneiro, como força e agilidade para o trabalho de campo, além de agilidade para provas equestres, como enduro e rédeas.Se não fosse pela criação e trabalho realizado por instituições como a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Pantaneiros, conhecida pela sigla ABCCP, a raça Cavalo Pantaneiro poderia ter sido extinta devido a doenças e cruzamentos indiscriminados com outras raças.Cavalos Pantaneiros. Foto: Divulgação / ABCCP.De acordo com informações da Embrapa Pantanal publicadas em agosto de 2009, existem mais de cinco mil cavalos pantaneiros puros registrados na ABCCP, com mais de 130 criadores localizados em 21 regiões.ABCCPCavalo Pantaneiro. Foto: Divulgação / ABCCP.Os primeiros estudos sobre a raça pantaneira foram feitos em abril de 1957 por Otávio Domingos com o trabalho “Contribuição ao estudo do Cavalo Pantaneiro” e em setembro de 1969 pelos técnicos: Prof. Luiz Rodrigues Fontes, Dr. Pedro Gouveia, Dr. Renato Gouveia Leoni e Dr. Edson de Souza Baleiro, época em que a associação ainda não tinha sido criada.A Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Pantaneiro foi criada no dia 29 de abril de 1972, na Sociedade Recreativa Poconeana da cidade de Poconé, no Mato Grosso.Em julho de 1972, a cidade de Campo Grande (MS) sediou a VII Exposição Nacional de Equídeos e Concursos Diversos. Durante o evento foram registrados os primeiros animais da Raça Pantaneira, entre eles: “Rei do Paiol”, de propriedade do Sr. Joaquim da Cunha Fontes e “Pirilampo do São Rafael”, de propriedade do Sr. Luiz Carlos e Fernando C.R.A.Com a criação da ABCCP, foi possível continuar os estudos sobre a raça de cavalos pantaneiros, representadas por animais fortes e de porte médico e inteligentes, e defender os animais de extrema importância para o Pantanal.A associação define o cavalo pantaneiro como: “eqüino que não tem medo de sol causticante, do barro pegajoso, do coricho cheio d’água, para levar em seu dorso um peão valente tanto quanto ele, e que dele depende para trabalhar seu gado”.
terça-feira, 26 de maio de 2020 - Igreja
Nossa Senhora do Pantanal
Maria, mãe de Jesus, desde cedo se preocupou conosco, através de seu sim a Deus, que veio até nós na pessoa de seu Filho Jesus, “quem me vê, vê o Pai”.Assim tem aparecido em diversas partes do mundo, onde recebe os títulos de acordo com a realidade local, despertando nos fieis sua devoção para com Ela, visando, sempre, um objetivo comum, nossa salvação pela redenção de Cristo seu Filho.Os vários títulos conferidos a Maria, nem sempre, decorrem de aparições, mas originam-se, também, do próprio sentimento devocional das pessoas ou do povo, expressando seu culto pelo reconhecimento e amor filial para com Aquela, que sempre nos cobre com seu manto protetor.Assim, temos a oportunidade de honrar Maria com mais um título, “Nossa Senhora Imaculada Conceição do Pantanal”. Nossa Senhora do Pantanal Referido título foi dado em 04 de setembro de 1982 e reconhecida como padroeira de Corumbá-MS em 21 de setembro de 2001. A artesã “Ida Sanches Mônacona” confeccionou uma imagem diferente da mãe de Cristo, que recebeu o nome de “Nossa Senhora do Pantanal”, apelidada pelo Dr. Gabriel Vandoni de Barros.  Os traços da santa eram bem parecidos com os de “Nossa Senhora Aparecida”, mas ela possui um manto repleto de folha e flores de camalotes nas cores verdes e lilás e uma coroa feita de pequenas folhas e flores do camalote. Nossa Senhora do Pantanal. Acervo PessoalMaria passa a ser agora não só Estrela do mar, mas a Estrela guia das águas límpidas do pantanal, que se transforma na Estrela da Esperança para todos nós. 
segunda-feira, 25 de maio de 2020 - Turismo
A importância da Avenida Afonso Pena para Campo Grande
Hoje falaremos da Menina dos Olhos de Campo Grande, A Avenida Afonso Pena.Foto: Alexandre CostaQuem mora ou visita Campo Grande pode até não conhecer todos os pontos da cidade, mas não se esquece de um nome: Afonso Pena. Nome da principal avenida da capital sul-mato-grossense, uma homenagem ao ex-Presidente do Brasil. Ela começa em um trecho da Avenida Duque de Caxias, no centro da cidade e acaba no bairro Chácara Cachoeira, em uma das entradas do Parque dos Poderes.A Avenida Afonso Pena é como o coração pulsante de Campo Grande. Ela corta algumas das principais ruas e bairros da cidade, além de concentrar diferentes pontos históricos, turísticos e comerciais, como a Morada dos Baís, Shopping Campo Grande, Parque das Nações Indígenas, Praça Ary Coelho, Praça do Rádio Clube, Prefeitura Municipal, Obelisco, entre outros.É impossível falar de Campo Grande sem se lembrar da sua Avenida mais querida, percorrida e freqüentada diariamente pelos moradores da cidade e visitantes, seja a caminho do trabalho, educação, atividades ou até mesmo lazer.Na Afonso Pena, o Campo-grandense sai para se divertir, fazer caminhadas e exercícios físicos, encontrar os amigos para a famosa roda de Tereré, ouvir músicas ou apenas para observar o melhor e mais bonito Por-do-Sol do Brasil.À noite, os bares e restaurantes da cidade presentes no Coração da Cidade concentram a população de jovens e adultos para o famoso Happy Hour, encontros de amigos, paqueras e até mesmo romantismo. Descrita por um dos maiores escritores e historiadores de Mato Grosso do Sul, Paulo Coelho Machado, como a “Grande Avenida”, a Avenida Afonso Pena se desenvolve junto com a cidade e recebe diversas obras durante os anos. Apesar de todos os avanços, uma das preocupações da prefeitura é com as árvores centenárias, importantes para a identidade e beleza da capital.Ponto de referência para os turistas perdidos na cidade em busca de informações sobre qualquer lugar de Campo Grande ou até mesmo para os moradores, a extensa Avenida recebe e encanta centenas de pessoas, seja dia ou noite. “É na Afonso Pena que a vida acontece na capital do Mato Grosso do Sul”.É preciso reconhecer a importância desta avenida, seja por conta da sua história e relação com o desenvolvimento de Campo Grande, como pela Afonso Pena ser uma das representações da vida social da cidade. Esta data não poderia passar em branco sem mencionar aquela Avenida em que nós passamos sempre que saímos de casa ou visitamos a cidade, nem que seja sem querer.Texto: Mariana de Barros e Ben Oliveira
segunda-feira, 25 de maio de 2020 - Turismo
10 dicas para se aquecer no inverno
Oi Turma, como estamos de frio? Congelados né? por isso estamos aqui para passar algumas dicas para se aquecer nesse inverno.Resolvemos fazer essa matéria, pois este ano o frio em Mato Grosso do Sul está constante, então é hora de aproveitar esse tempinho, até para aqueles que não gostam de temperaturas baixas, e aproveitar da melhor maneira.FrioListamos 10 dicas super fáceis e mega agradáveis para você curtir o Friozinho!!Anota aí!! Retire todas as mantas, cobertas, edredons, moletons, casacos, entre outros, de seu armário. Provavelmente, eles estarão com aquele "cheirinho de guardado". Coloque-os no sol ou lave-os. Você não vai querer passar frio atoaInvista em um bom edredom, se você ainda não tem um. A ideia é usar um cobertor (mesmo que leve) e um edredom por cima, para reter o calor.Espalhe mantas pela casa. Deixe nos locais da casa que são mais frequentados, como a sala de tv, por exemplo. Esfriou enquanto tava assistindo um filme? Puxe a manta e se aqueça!Quem não gosta de aproveitar o frio com um belo chocolate? Se tiver marshmallow, melhor ainda!Faça chás. O mais indicado é o chá de limão que ajuda a se prevenir das doenças respiratórias, que são muito mais comuns nessa época do ano. Já publiquei sobre eles.Faça sopas, caldos ou fondue para o jantar.Aproveite os finais de semana para ficar em casa vendo um filme ou lendo um bom livro debaixo das cobertas. Se você não abre mão de sair, abuse dos cachecóis, gorros e casacos. Faça exercícios diariamente. Mesmo que seja somente uma caminhada, vai te ajudar a se manter aquecido(a).Tome um banho quente antes de dormir. Não se esqueça de separar o pijama para se vestir no banheiro, aproveitando o vapor quente do banho. Use roupões para sair do banheiro, evitando um choque térmico.A última dica é ficar abraçadinho! Porque não? Não tem namorado? Abrace o seu cachorro ou gato. Não é só de calor humano que vivemos, além de funcionar como uma terapia contra o stress diário.   Se alguém tiver mais sugestões do que apenas as 10 dicas para se aquecer no inverno, compartilhe conosco comentando!
quinta-feira, 21 de maio de 2020 - Gastronomia
Paçoca Pantaneira
Mais um Prato da Culinária Sul-Mato-Grossense e Pantaneira  que vamos apresentar a vocês, a Paçoca Pantaneira é servida no café da manhã aos peões de Boiadeiro de MS.Prato pode ser servido puro ou acompanhado de arroz branco.Preparo é simples e rápido.Vamos a receita:Ingredientes:1 kg de carne seca magra cortada em pedaços grandes ou sobra de carne de churrascoMeia xícara (chá) de óleo1 cebola picadinha1 dente de alho picadoFarinha de mandioca cruaModo de fazer:Colocar a carne seca de molho, de véspera, para retirar o sal. Em uma panela de pressão cozinhar a carne por 45 minutos. Deixar esfriar e desfiar. Caso utilize a sobra de churrasco, soque no pilão ou corte em pedaços pequenos e pique no liquidificar. Em uma panela grande, refogar no óleo a cebola e o alho. Juntar a carne desfiada para fritar e acrescentar aos poucos a farinha de mandioca a gosto, (não deixar ficar muito seco). Ao servir, enfeitar com cheiro verde picadoE ai, ficou com água na boca?Experimenta fazer ai na sua casa.Se achou relevante essa matéria, compartilhe!
quarta-feira, 20 de maio de 2020 - Turismo
Lagoa Misteriosa
 Situada na cidade de Jardim, que fica a 50 km de Bonito – MS, a Lagoa Misteriosa é uma das atrações mais significativas e belas que já tivemos o prazer de visitar.O passeio a Lagoa Misteriosa faz parte das atrações do Grupo Rio da Prata e é oferecido da seguinte forma: Os guias do Grupo da Rio Prata pegam o turista no hotel e o transporta até a sede do Recanto Ecológico Rio da Prata. Ao chegar a sede, onde o tratamento é de primeira e o turista se sente em casa, ele é convidado a conhecer o local e recebe todas as orientações quanto a duração dos passeios bem como a utilização dos equipamentos necessários para tal.O segundo passeio que fizemos foi a Lagoa Misteriosa. Após uma caminhada demais ou menos 20 minutos no meio da mata replantada RPPN, atingimos um platô, há aproximadamente 70 metros de altura da dolina (fenômeno natural representado por pequeno vale com formato circular inundado por uma lagoa) onde se encontra a Lagoa e deste platô podemos observar seus contornos e ter uma noção da transparência da água azul . A Lagoa Misteriosa foi criada pela incidência das chuvas que se tornaram ácidas em contato com o solo fértil e causaram um abalo no terreno de rocha calcária que atingindo o lençol freático, originou esse “buraco” de mais de 220 metros de profundidade. Sua água é de um azul cristalino e reflete tudo que há no fundo da Lagoa, que para exploração foi dividida em dois canais (A e B) que se encontram formando um abismo. Pé de uma das pessoas do nosso grupo dentro da água A Caverna onde fica a Lagoa Misteriosa é a primeira liberada pelo Governo para mergulho, no Brasil o que só foi possível após a aquisição de sua administração pelo Grupo do Rio da Prata que realizou os estudos que geraram o Plano de Manejo Espeleológico, documento exigido pelo Estado para conservação desse patrimônio natural.Apesar de suas águas cristalinas que não permitem esconder as belezas naturais, mesmo a “olho nu”, recebeu o adjetivo de “misteriosa” e os guias contam que seu nome foi dado porque os peões que tratavam o gado nas fazendas próximas ouviam, constantemente, ruídos como se fossem homens conversando, sem que, no entanto, houvesse qualquer pessoa o que gerou o tal “mistério” e, após sua exploração, o nome foi mantido pelo fato, de sua profundidade permanecer um “ mistério” já que ninguém atingiu o fundo da Lagoa. Para curtir todos os encantos desta água cristalina, cuja temperatura varia de 18 a 25 graus, tornando o mergulho, mesmo sem a roupa de borracha, bem agradável, pode se mergulhar com equipamento profissional, cilindro, roupa e etc. que é fornecido pelo Grupo ou apenas com a máscara e o snorkel, que foi o nosso caso, que optamos por não fazer o batismo (que consiste em aula teórica sobre o equipamento, meio ambiente e técnicas usadas durante o mergulho), que também e oferecido pelo Grupo Rio da Prata.Independentemente da opção feita pelo turista, é garantida uma experiência inesquecível, em uma agua cristalina e de temperatura amena, onde se pode observar algumas espécies de peixes e formações rochosas. O fato da Lagoa ser localizada bem no meio da mata da Serra da Bodoquena, também torna o ambiente poético já que se pode observar os raios de sol entrando pela clareira o que propicia um efeito de luz maravilhoso para as belas fotos que serão tiradas de recordação.  Para mais informações sobre a  lagoa misteriosa clique Aqui !Veja um vídeo em nosso Canal no Youtube: