Ocultar

Esqueceu sua senha?

Ocultar

Ocultar

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha.

Voltar ao Login

Fechar
Banner Blog

Blog

Vamos semanalmente falar de algo que estiver em evidência em nosso estado, nas áreas que atuamos no nosso Portal!

Compartilhar página

segunda-feira, 18 de maio de 2020 - Artistas
José Octávio Guizzo
Um dos grandes representantes e lutadores pelo reconhecimento da Cultura, da Arte, do Cinema do nosso Estado foi o nosso grande José Octavio Guizzo.                                             Um guerreiro a favor dos interesses do Mato Grosso do Sul.Tudo que Guizzo fazia ele queria exaltar o nome do seu Estado.Guizzo é a cara desse Blog!Nosso Grande Poeta, Manoel de Barros, tese lindas considerações sobre José Octavio Guizzo:“Do Guizzo eu me lembro assim. Poucos meses depois que cheguei a Campo Grande, de mudança, estava na rua 14, atoanando, e um jovem me abordou. Disse meu nome e que me conhecia por tais e tais. Convidou-me ali mesmo a ir de noite assistir um festival de música em algum lugar. Mas fui e assisti a vitória na música de dois jovens. Um deles, o Letrista, era o jovem que me abordara na rua 14. Fiquei sabendo que se chamava José Octavio Guizzo. Era um ser que se podia conversar desarmado de preconceitos e conceitos. Tinha delicadeza de espiríto, respeito pelas idéias alheias e uma enriquecida solidariedade pelos mais fracos, pelos humilhados e ofendidos. Agora estou acabando de ler seu trabalho exaustivo de 17 anos sobre a atriz Glauce Rocha. Acho que essa obra precisa ser publicada. É um monumento histórico tanto qualquer estátua de herói. É um monumento da cultura e da sensibilidade deste povo. Campo Grande, Glauce Rocha e Guizzo se merecem de amor perene.” Manoel de BarrosAs obras de José Octávio Guizzo devem ser destacadas por retratarem a história Sul-Mato-Grossense tanto na esfera Cinematográfica, como Musical, são elas:- Esboço Histórico do Cinema em Mato Grosso do Sul.- Alma do Brasil - O Primeiro Filme de Reconstituição Histórica, Inteiramente Sonorizado.- A Moderna Música Popular Urbana de Mato Grosso do Sul.Em 20 de novembro de 1989, logo após uma palestra aos alunos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul sobre a pesquisa que durou 17 anos, referente à biografia da atriz Glauce Rocha. Guizzo faleceu vítima de um infarto fulminante. Seu livro "Glauce Rocha - Atriz, Mulher, Guerreira" foi publicado por sua esposa Marta Guizzo em 1996. Agora a sua melhor obra foi publicada dia 20 de dezembro de 2011, no centro cultura que leva o seu próprio nome - Centro Cultural José Octávio Guizzo. O registro de tudo que Guizzo fez para o povo Sul-Mato-Grossense resumido em um livro com o título “José Octávio Guizzo – Um Nome em registro eterno”, pelos jornalistas Luiz Henrique Gehlen e Marianne Cunha Herrero.  UMA HOMENAGEM MAIS DO QUE MERECIDA!!!!!As palavras citadas acima do Grande Poeta Manoel de Barros é a Contra Capa do Livro, cedidas pela filha de José Octávio Guizzo, Daniela Guizzo, para serem utilizadas aqui nesta matéria.José Octávio Guizzo - muito mais do que um centro cultural... (Mariana de Barros) 
segunda-feira, 18 de maio de 2020 - Artistas
Rubens Corrêa, um ícone do Teatro Brasileiro
por Mariana de BarrosRubens Corrêa, filho desta terra, foi um dos maiores atores do Brasil. Para alguns, e não poucos, o maior, porém, pouco lembrado por este chão, se perguntar para algum cidadão nas ruas, muitos não saberão quem foi este grande homem, até mesmo em sua cidade natal.Divulgação:internet Quem o assistiu em cena jamais o esqueceu. Diário de um louco, que ele interpretou com 33 anos, Marat-Sade, ainda nos anos 60, O assalto, O arquiteto e o imperador da Assíria, Hoje é dia de rock, O beijo da mulher-aranha, mais que tudo, Artaud!, entre dezenas de outros, transformaram-se num legado apaixonado de quem amou o teatro como poucos...Hoje é dia de Rock (internet) Artaud (Teatro Ipanema) Internet Nascido em Aquidauana, Mato Grosso do Sul, em 23 de janeiro de 1931, e falecido em 22 de janeiro de 1996, no Rio de Janeiro. Casa de Rubens Corrêa em AquidauanaAquidauana, nos dias de hoje (internet)Rubens foi um dos criadores do Teatro Ipanema, marco importante da vida cultural carioca, ao mesmo tempo polo irradiador e agregador na década de 60. Rubens foi um divisor de águas na vida pessoal e profissional de muita gente e significou muito até para pessoas que não o conheceram. Era um perfeccionista e cuidava dos mínimos detalhes na composição de um personagem. Maquiava até as veias das mãos. E tinha mãos de pianista, além de ser mesmo um craque do piano antes de mudar de carreira. Nunca mais tocou em público, mas manteve a música dentro de si, tanto que fez trilhas sonoras.Teatro Ipanema em 1980 ( Livio Campos Jr)Teatro Ipanema nos dias atuais (internet)Ano passado, para homenagear os 80 anos que Rubens Corrêa completaria no dia 23 de Janeiro de 2011, houve o lançamento de sua biografia, por Sérgio Fonta, na Livraria Travessa do Shopping Leblon, Rio de Janeiro-RJ, e um trecho do livro que colhi na internet que me chamou a atenção transcrevo aqui: “A história é narrada cronologicamente, começando em Aquidauana, cidade do Mato Grosso do Sul fundada pelo avô do biografado: “Rubens foi um menino de fazenda, mas nunca um fazendeiro. Construiu sua vida na cidade e foi vendendo gado e terras para montar suas peças e seu teatro. Nunca esqueceu suas origens e conservava em casa um pôster do lugar onde cresceu, mas não era rural.”Foto da capa do livroEm Campo Grande-MS, possui uma sala com seu nome, dentro do Teatro Aracy Balabanian outra expoente de Mato Grosso do Sul.
quinta-feira, 14 de maio de 2020 - Gastronomia
Feira Central de Campo Grande MS
A Feira Central de Campo Grande é uma feira localizada na cidade brasileira de Campo Grande, no estado de Mato Grosso do Sul. Também conhecida carinhosamente como feirona, é coordenada pela comunidade okinawana, que já se adaptou à culinária local. É semelhante a uma feira qualquer do Brasil. Os destaques são o tradicional espetinho com a mandioca amarela da terra e o sobá. Outras opções são o artesanato e o comércio de produtos típicos.História Foi totalmente reformada em outubro de 2006 mudando-se para a antiga Estação Ferroviária de Campo Grande. A história do "sobá" caminhou junto com a "Feirona" de Campo Grande, fundada por meio decreto, em 4 de maio de 1925, pelo então entendente municipal Arnaldo Estevão de Figueiredo.Feira Central de Campo Grande O primeiro local foi na Avenida Afonso Pena e funcionava das 8h às 16h aos sábado. Dois anos mais tarde, desta vez por decreto do então entendente municipal Jonas Corrêa Costa, o horário de funcionamento passou para quinta-feira e domingo das 6h às 10h.Mais tarde, a Feirona ainda passaria pela Rua Calógeras e para a Antônio Maria Coelho antes de, em 1966, por meio de decreto do então prefeito Antônio Mendes, foi para entre as ruas José Antônio e Abrão Júlio Rahe. Feira na antiga Avenida Calógeras - Campo Grande - MS Antiga Feira na Abrão Júlio Rahe - Foto do acervo de Roberto Higa Lá a Feira Central ganhou mais força na cultura campo-grandense, e tomou conta da Rua Padre João Crippa e virou definitivamente um local tradicionalmente familiar.Até que em 16 de dezembro de 2004, o então prefeito André Puccinelli assinou decreto e transferiu a Feirona para a Esplanada Ferroviária. À época a mudança causou polêmica e muita discussão, mas a ideia já agradava os feirantes que sonhavam com um espaço amplo.E desde então vem fazendo muito sucesso com variedades, e também organiza os festivais de "Sobá" e a "Festa do Peixe" na cidade de Campo Grande MS.Localização e horários de visitação Atualmente a Feira se localiza na avenida Calógeras com a 14 de Julho, na Esplanada da Ferrovia. Encontra-se aberta a partir das 16 horas nas quartas, sextas-feiras, sábados e domingos. Feira Central de Campo Grande. Foto: Divulgação
terça-feira, 12 de maio de 2020 - Turismo
Atrativos turísticos de Costa Rica - MS - Brasil
Mato Grosso do Sul é um estado com muitas riquezas naturais e atrativos turísticos.Costa Rica é um deles, além de oferecer experiências inesquecíveis. A distância entre a cidade de Campo Grande-MS e a cidade de Costa Rica-MS é de 327 km.Turismo de AventuraConsiderada um dos destinos obrigatórios para os amantes do Turismo de Aventura, recebendo inclusive turistas internacionais, que vêm se aventurar nas belas paisagens, Nossa cidade oferece rafting, trilhas, caminhadas, rapel, tirolesa e muito mais.Cachoeira das ArarasLocalizada a 45 km da cidade, a Cachoeira é uma queda com 30 metros de grande beleza.Apresenta uma vegetação rica em espécies do cerrado, mata estacionária e ciliar de encosta com formação de vale profundo. Cachoeira das Araras - Foto: Prefeitura de Costa Rica  Parque Municipal Natural da LageLocalizado ás margens da rodovia MS-306, a 17 km de Costa Rica, o local oferece um balneário natural composto por diversas piscinas naturais do Ribeirão de Lages e um pequeno Cânion com saltos, grutas sob pedras e corredeiras dentro da mata virgem, cuja beleza poderá ser observada nos mirantesParque Municipal Natural da Lage Cânion do EnganoViva experiências inesquecíveis realizando a trilha de quatro horas (ida e volta) que passa pelos Cânions do Engano que ladeiam o vale. Curta um belo Pôr do Sol nesse cenário natural incrível.  Cânion do Engano. Foto: Prefeitura de Costa Rica Água SantaA cerca de 30 km de Costa Rica, a Água Santa da Capela é uma das mais belas paisagens do Cerrado Sul-Mato-Grossense por se tratar de um fenômeno que proporciona a quem se aventura uma flutuação natural (o que ocorre nada mais é do que uma forte ressurgência de água à superfície)Água Santa da Capela. Foto: Prefeitura de Costa RicaMais lugares incríveis em Costa Rica:- Cachoeira da Rapadura- Capela Senhor do Bom Jesus- Gruta Tope da Pedra- Parque Estadual – Nascentes do Rio Taquari- Parque Nacional das Emas- Parque Natural Municipal Salto do Sucuriú- Cachoeira da Surpresa- Santo FujãoMaiorias informações clica AQUI e fale com a gente!
terça-feira, 12 de maio de 2020 - curiosidades
10 coisas para fazer em dia de chuva
Você desanima sempre que o céu fica cinza e as gotas começam a molhar o chão? Pare já com isso! A gente te mostra 10 coisas para se fazer em um dia de chuva e deixar o tédio de lado. Confira!1 – Comece um novo livro: Acredito que não exista nada que combine mais com um dia de chuva do que um bom livro e um copo bem grande de capuccino (com bastante chocolate). Dê preferência a livros curtinhos que você pode terminar no mesmo dia – e aproveitar esse tempinho gostoso apenas com o personagem principal da obra. 2 – Estoure pipoca e vá ver um filme: Vai ver um filme! Coloque sua roupa mais folgada, estoure uma pipoca bem amanteigada, e separe uns filmes para ver. 3 – Organize sua Bagunça: Sua casa está precisando de uma arrumadinha? O seu quarto? A gaveta? A estante da sala? Os livros? Armários? Guarda-roupas? Pois é, não tem jeito, sempre tem alguma coisinha (ou diversas coisinhas!) fora do lugar. Então, o momento é esse: deixe de preguiça e mãos à obra organizar tudo o que está bagunçado na sua vida! Junte os objetos espalhados, desprenda-se das roupas que não usa mais, faça uma limpeza naquilo tudo que você guarda e não tem mais serventia nenhuma. 4 – Dê uma de “Chef” na cozinha: Seja você boa na cozinha ou não, isso não importa: arrisque-se naquela receita que sempre quis fazer ou que adora comer. Vale o bolo de chocolate mais simples, o brigadeiro de panela pra comer com a colher ou quem sabe aquele jantarzinho diferente pro namorado, pra família ou pras amigas. Aliás, que tal cozinharem todas juntas? Pode não sair muito gostoso, mas vai ser divertidíssimo!  5 – Toque um instrumento, ouça música: Perca-se à tarde inteira tocando aquelas músicas do fundo do baú ou mesmo a que você mais gosta na atualidade. Ah, não toca nenhum instrumento? Vai ouvir música! Baixe as músicas daquele artista que você é fã e ligue o som. Ouvir música faz bem para a alma e dá uma sensação de paz e tranquilidade. Se a inspiração der o ar da graça, você pode cantar aquele refrão grudento no sofá, na cama ou no chuveiro. 6 – Relembre de bons momentos vendo fotos antigas: Hoje em dia, as fotos são todos digitais, no celular, no PC. Aproveite para pegar os álbuns e ver as fotos impressas, organizadas e relembrar de amigos, familiares e momentos incríveis que vocês passaram. 7 – Animada para sair mesmo com chuva? Vá fazer passeios culturais em sua cidade – uma dica é visitar o museu local de sua cidade.Entre em contato com a secretária de cultura local e saiba mais opções.Aqui para Mato Grosso do Sul disponibilizaremos o site da Fundação de Cultura do estado de MS.  Prefere algo mais aconchegante? vá ao cinema e assista ao filme de sua preferência.8 – Navegar na Internet: Na correria do dia-a-dia, nem todo mundo tem tempo para acessar as redes sociais como, facebook, twitter, instagram e etc. Responder os recados dos seus amigos e parentes, assistir um clipe musical, acessar o perfil das pessoas que você gosta, checar seus e-mails, são algumas coisas que podem te ajudar enquanto a água rola lá fora. 9 – Dormir: Vocês estavam esperando essa como primeira opção né? nem sempre dormir resolve tudo, mas pra quem prefere em dia de chuva e frio aproveite e durma!Se esconder debaixo das cobertas é muito mais prazeroso enquanto está chovendo, não é mesmo? Quando você acorda, depois de passar horas e horas dormindo, se sente muito mais disposto do que em dias ensolarados e abafados.10- Tomar banho de chuva: Tem quem tenha feito isso só quando era criança e na fase adulta simplesmente se esqueceu de que para viver muito é preciso ser feliz como uma criança, que não precisa de dinheiro e bens materiais para sorrir. Um bom banho lava a alma e simboliza um novo começo em sua vida. Que sensação de liberdade e prazer ao mesmo tempo né pessoal?Evite em dias que estiver com muitos raios. Quem gostou das dicas, recomende aos amigos!
segunda-feira, 11 de maio de 2020 - curiosidades
Marco Zero de Mato Grosso do Sul
Para explicar onde fica o Marco Zero de Mato Grosso do Sul, primeiro é preciso entender o significado do termo. O marco zero é o ponto que representa o centro geográfico de uma cidade, a partir do qual são feitas as medidas de distâncias dela estabelecidas.Quando dizemos que a capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande está distante a 420 km de Corumbá, significa que a partir do local onde foi construído o obelisco na capital sul-mato-grossense  foram feitas as medições de distância e marcado o centro geográfico do estado, sendo portanto este o Marco Zero do Estado de Mato Grosso do Sul. O obelisco foi construído em homenagem ao fundador da cidade, José Antônio Pereira, no cruzamento da Avenida Afonso Pena com a Rua José Antônio. Obelisco de Campo Grande. Foto: Divulgação.Segundo informações do JC Online, o diretor de gestão logística do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem de Pernambuco, André Luiz Mota Pinho explicou o que é o marco zero: "É um marco regulador das distâncias entre os municípios e a Capital".Marco Zero de Campo GrandeJá o Parque Florestal Antônio de Albuquerque, Horto Florestal pode ser considerado um marco zero para Campo Grande, não por conta da sua localização geográfica, mas por ter sido um dos importantes locais da cidade onde concentrou pessoas e vidas ao seu redor, como o fundador da capital, José Antonio Pereira e seguidores .Horto Florestal pode ser considerado um marco zero para Campo Grande, não por conta da sua localização geográfica, mas por ter sido um dos importantes locais da cidade onde concentrou pessoas e vidas ao seu redor, como o fundador da capital, José Antonio Pereira e seguidores .Horto Florestal de Campo Grande. Foto: Divulgação.Em 1912, o local era destinado ao Matadouro Municipal ou Salgadeira como era popularmente conhecida, pois era onde se salgava o couro do gado que posteriormente era enviado para São Paulo pela ferrovia.Com o passar dos anos, em 1923, o local foi transformado no Parque Municipal de Campo Grande. Em 1956, a área passou a ser chamada de Horto Florestal sob os cuidados de Antônio de Albuquerque e o parque produzia diferentes espécies de árvores para arborização para Campo Grande, cidades vizinhas e até mesmo para Cuiabá.A partir de 1980 o Horto Florestal ganhou um teatro de arena, setor administrativo, restaurante que funcionou por pouco tempo, além de após alguns anos ter se tranformado em um complexo de lazer de Campo Grande e atualmente, possuir Biblioteca Municipal, Lanchonete, Parlatório, Banheiros, Playground, Espelho d'água, Cancha de Bocha, Cancha de Malha, Pista de Cooper, Pista de Skate e Orquidário.Marco Zero do EquadorA capital do Amapá, Macapá possui o monumento do Marco Zero, edificação de 30 metros de altura com um círculo na parte superior, através do qual é possível visualizar o Equinócio ao menos duas vezes por ano. O monumento marca a passagem exata da Linha do Equador em Macapá. A cidade é a única capital do Brasil cortada pela linha do Equador.Marco Zero do Equador em Macapá (AP). Foto: Divulgação.No local é possível pisar no  hemisfério norte e no hemisfério sul, ou seja, como as estações do ano acontecem em diferentes épocas do ano de acordo com o hemisfério, também é possível saltar do outono para a primavera em um passo.Centro Geodésico da América do SulSegundo um artigo escrito por João Carlos Vicente Ferreira e publicado no Portal Mato Grosso e Seus Municípios, no ano de 1909, Cuiabá foi reconhecido como Centro Geodésico da América do Sul. Há quem diga que o município de Chapada dos Guimarães, também no Mato Grosso, localizado entre o Atlântico e o Pacífico é o Centro Geodésico do continente.Chapada dos Guimarães (MT) considerada Centro Geodésico da América do Sul. Foto: Divulgação."O Centro Geodésico não tem nada a ver com medições prévias. Ele foi um ponto estabelecido pelo marechal Rondon para ser o referencial básico para sua missão de elaborar o primeiro mapa do Brasil", explica o arquiteto e urbanista, José Antônio Lemos dos Santos. Todavia, o profissional ressalta que o Centro Geodésico não pode ser confundido com Centro Geográfico, pois são coisas diferentes. Cuiabá é considerado o Centro Geodésico, pois no local foram tiradas medidas para elaboração do mapa do Brasil, e as mesmas serviram como referência para o mapa da América do Sul.Centro Geodésico do BrasilO Centro Geodésico do Brasil está localizado na cidade de Palmas, Capital do Estado do Tocantins. Situado na ala norte da Praça dos Girassóis, maior praça pública do país. O monumento Marco do Centro Geodésico do Brasil simboliza o centro da Rosa dos Ventos.Marco do Centro Geodésico do Brasil em Palmas (TO). Foto: Divulgação."O símbolo foi acrescido de referências das etnias indígenas do Tocantins que enriqueceu sua beleza e simetria, além de colocá-la em um contexto histórico e cultural. A rosa dos ventos da praça dos Girassóis possui em sua estrutura de formação toda a riqueza de detalhes artísticos da cultura tocantinense".