Ocultar

Esqueceu sua senha?

Ocultar

Ocultar

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha.

Voltar ao Login

Fechar
Banner Blog

Blog

Vamos semanalmente falar de algo que estiver em evidência em nosso estado, nas áreas que atuamos no nosso Portal!

Compartilhar página

terça-feira, 16 de junho de 2020 - Gastronomia
Frutos do Cerrado - Ricos em nutrientes e sabor
O Brasil pode ser considerado um dos países com a maior biodiversidade do planeta por conta de suas diferentes espécies de plantas e animais e dos seus diferentes ecossistemas. Segundo Maria Fernanda Diniz Avidos e Lucas Tadeu Ferreira, a região dos cerrados está presente em 25% do território nacional e por conta da preservação, os frutos do Cerrado são um dos destaques.Segundo informações da publicação "Cerrado que te quero vivo!", publicado pelo Programa de Pequenos Projetos Ecossociais em 2010, o Cerrado brasileiro possui mais de 15 mil espécies de plantas e 1.570 espécies de animais catalogados.Deliciosos e nutritivos, os frutos do cerrado estão cada vez mais sendo incorporados na alimentação do brasileiro. Eles são consumidos em sua forma natural e de diferentes maneiras, como sucos, licores, sorvetes, geleias, mingaus, bolos, entre outros aperitivos. São frutas ricas em proteínas, fibras, energia, vitaminas, minerais e ácidos graxos.Pequi - O fruto cuja polpa tem coloração amarelo intensa é envolto por um caroço duro com grande quantidade de pequenos espinhos. O fruto pode ser encontrado em toda a região Centro-Oeste, norte e oeste de Minas Gerais, leste de Rondônia, sudoeste do Pará, sul do Tocantins e Maranhão, sul do Piauí, oeste da Bahia, sul do Ceará e cerrados de São Paulo e Paraná. O período de frutificação acontece de novembro a fevereiro.Ao consumir o fruto, é preciso ter cuidado por conta dos espinhos que podem ferir. O fruto pode ser utilizado na fabricação de óelo e licor. O pequi pode ser consumido cozino ou puro , e, geralmente, é cozinhado com o arroz e frango. O fruto é rico em ácido oléico e betacaroteno, é importante fonte de fibra alimentar e portanto, apresenta elevada capacidade antioxidante.Baru - O baru é uma castanha da região do cerrado, cujo gosto da amêndoa lembra bastante o do amendoim. O fruto apresenta teores médios de proteína, importante fonte de ácidos graxos, como o Ômega 9 e Ômega 6, uma castanha rica em gorduras insaturadas, importantes para a saúde humana. O período de frutificação acontece de agosto a outubro.Baru. Foto: Divulgação.As amêndoas do Baru também são importantes fontes dos seguintes minerais: fósforo, magnésio e ferro. As amêndoas podem ser torradas e consumidas assim ou utilizadas em outras preparações, como pé-de-moleque, rapadura e paçoca.Araticum - O fruto do cerrado é bastante conhecido e consumido pelas populações nativas da região. Descrição do fruto feita pela nutricionista Laila Rios Biancardini: "fruta de coloração verde-escura, textura rugosa e escamosa oferece uma polpa  cremosa de odor e sabor bem fortes e característicos. O fruto com até 15 cm de diâmetro e peso varia de 0,5 a 4,5 kg, com formato oval a arredondado".Araticum. Foto: Divulgação.A polpa da fruta pode ser consumida ao natural ou em batidas, bolos, biscoitos e bolachas, picolés, sorvetes, geleias e em diversos doces. O período de frutificação acontece de fevereiro a março. O fruto possui fatores antioxidantes e junto com o pequi podem ser aliados na prevenção de doenças degenerativas. Na região das Chapadas dos Veadeiros, em Goiás, o fruto é utilizado como  regulador de menstruação, para reumatismo, feridas, úlceras, câncer de pele, fraqueza no sistema digestório, cólicas e contra diarreia.Mangaba - O fruto é típico do Cerrado, Cerradão e áreas de Caatinga. A polpa da mangaba é bastante vendida junto com a cajá e graviola, e é bastante apreciada nos sucos, sorvetes e diferentes doces.Mangaba. Foto: Divulgação.Com um sabor adocicado e saboroso, os frutos podem ser amarelados ou esverdeados, conter pigmentação vermelha ou não, com a polpa amarela adocicada, rica em vitaminas, como a Vitamina C, ferro, fósforo, cálcio e proteínas.Cagaita - Originária do cerrado brasileiro, a árvore da Cagaita produz um fruto redondo, ligeiramente achatado, suculento e de sabor ácido. A fruta pode ser consumida ao natural ou em sucos, geleias, refrescos, sorvetes, doces, licores  e outros.Cagaita. Foto: Divulgação.Com baixo valor calórico e pouca quantidade de macronutrientes (proteínas, carboidratos e lipídeos), a fruta é rica em fibras, sódio, cálcio, fósforo e vitaminas A e C. O período de safra é de setembro a outubro, época onde é mais fácil encontrar a fruta e o valor comercial é reduzido.Buriti - O Buriti é um fruto elipsóide, castanho-avermelhado, revisto por escamas brilhantes. Sua polpa é amarela e sua amêndoa é comestível. O fruto é encontrado nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil.Buriti. Foto: Silvestre Silva.É possível utilizar a polpa do Buriti para diferentes preparações. O fruto tem alto valor nutritivo, e alta concentração de vitamina A. O beta caroteno presente no óleo extraído do Buriti possui uma concentração 10 vezes maior que a do óleo de Dendê.Gabiroba ou Guavira - Fruto encontrado nas regiões do Cerrado, Cerradão e Campo Sujo. O nome do fruto teve origem na língua tupi-guarani e significa "casca amarga". A fruta pode ser consumida ao natural ou utilizado para fazer doces, sucos, picolés, sorvetes e licores.Guavira / Gabiroba. Foto: DivulgaçãoSegundo o site Nutrição em Foco, rica em vitamina C, os frutos e folhas da Guavira são bastante utilizados no combate à gripe, enquanto a casca é utilizada no tratamento de diarreias, cãibras e doenças do sistema urinário.Jatobá-do-Cerrado - A polpa dos frutos de jatobá são amarelo-pálidas, farináceias, adocicadas, comestíveis e de sabor e aroma característicos. A polpa do Jatobá pode ser consumida ao natural ou sob a forma de mingau, no preparo de bolos, pães e biscoitos, geleia e licor.Jatobá. Foto: Divulgação.Bastante utilizada na culinária regional, a farinha do Jatobá-do-cerrado possui elevado conteúdo de fibra alimentar, e portanto o seu consumo pode fazer bem para o organismo e para a prevenção de doenças crônicas.Macaúba ou Bocaiúva - A macaúba é uma palmeira abundante no Cerrado brasileiro. Os frutos são comestíveis e podem ser consumidos em natura ou utilizados para a produção de doces, paçocas, geleias e cocadas. A polpa é rica em lípidios totais, carboidratos e fibra. A fruta é rica em cálcio e potássio.Macaúba / Bocaiúva. Foto: Divulgação.O óleo extraído da Macaúba também tem se destacado, podendo este ser utilizado na composição de biodiesel, produção de sabão e margarina, além de possuir propriedades medicinas, como analgésico.Guapeva - A fruta do Cerrado é difícil de ser encontrada por conta da devastação cada vez maior do meio ambiente para a plantação de monoculturas, como a cana-de-açúcar, plantações de soja e pastor para a criação de gado de corte. Os frutos maduros de guapeva possuem coloração amarela e são coletados de outubro a março. Apresenta polpa esbranquiçada que pode ser utilizada em bebidas doces e geleias.Guapeva. Foto: Rafael José.Segundo um estudo realizado pela Unicamp, com alto poder antioxidante, a Guapeva pode ser utilizada para o combate de doenças crônico-degenerativas, como câncer e diabetes.*Com informações do site Nutrição em Foco e da cartilha "Cerrado que te quero vivo!".
segunda-feira, 15 de junho de 2020 - Turismo
Você sabe o que é uma Comitiva Pantaneira e qual a sua importância para o Pantanal ?
No Pantanal, os períodos de chuva e de seca que definem a vida e ditam as regras ao homem pantaneiro. Na época das chuvas o Pantanal se inunda por completo, e o sertanejo é obrigado a afugentar seu gado para as partes mais altas da região numa tentativa de sobrevivência ao ciclo natural do bioma. O mesmo ocorre na seca, onde o pantaneiro é obrigado a conduzir seu gado pelo vasto campo, em busca de água e comida. Assim nascem as comitivas pantaneiras formadas por grupos de peões de boiadeiro e suas montarias, o comissário era o dono da comitiva. O ponteiro era um peão experiente e conhecedor das estradas, que ia à frente tocando o berrante, nos momentos apropriados, para atrair, estimular a marcha ou acalmar o gado e dar sinais para os demais peões. Os rebatedores eram os peões que cercavam o gado, impedindo que se espalhassem. Os peões da culatra iam na retaguarda da boiada. Os peões da “culatra manca” ficavam para trás tocando os bois que tinham problemas para acompanhar a marcha da boiada, por cansaço, ferimento ou doença.  Comitiva Pantaneira Foto: Bosco MartinsO cozinheiro saía mais cedo que os demais integrantes da comitiva, conduzindo os burros cargueiros com suas bruacas, nas quais levava os mantimentos e tralhas de cozinha, até encontrar um rio em cuja margem pudesse preparar a refeição, ou seja, “queimar o alho”. Conforme destacado acima, a terminologia podia variar de região para região.Bem na hora da "queima do alho". Foto de Cleberson Carvalho O berrante é uma buzina feita de chifres de boi unidos entre si por anéis de couro, metal ou chifre mesmo, e era usado pelos ponteiros para atrair, estimular ou acalmar o gado e dar sinais aos demais peões da comitiva. Ele emite sons, que podem ser graves ou agudos, dependendo do toque, a partir das vibrações do ar feitas pelos lábios do berranteiro em contato com o bocal mais estreito do instrumento. Esse bocal varia de acordo com a forma dos lábios, podendo ser mais raso ou mais fundo.O Berrante - Foto: DivulgaçãoO peão de boiadeiro, integrando a sua comitiva pantaneira, percorria léguas e mais léguas pelo sertão, durante dias e até meses, tangendo o gado no lombo de mulas, vivendo toda a sorte de aventuras no estradão, ora enfrentando situações de perigo, como quando a boiada estourava ou tinha que cruzar um rio caudaloso, ora vivendo romances com as mocinhas nas vilas por onde passava, ora se divertindo com os companheiros à noite nos pontos de pouso, onde tocavam viola e dançavam o catira.  Homem Pantaneiro. Foto de Antonio Carlos BanavitasO peão de boiadeiro por onde passa despertam paixão das moças, a admiração dos jovens que queiram tornar-se um deles e o respeito dos demais homens.
segunda-feira, 15 de junho de 2020 - Turismo
Conheça Três Lagoas e se encante!
Hoje é aniversário de  Três Lagoas e tem muito a comemorar.A cidade é a Capital da celulose no Mundo, no Brasil corresponde a 21,2% da celulose do país, ganhando de São Paulo, que corresponde a 19,6%. Três Lagoas. Foto DivulgaçãoPousadas e Praias: - Pousada do Tucunaré: As margens do Rio Sucuriú, com parque aquático e restaurante com cardápio típico tropeiro. Maior  empreendimento turístico da Costa Leste MS, a Pousada do Tucunaré oferece luxuosos apartamentos e piscinas privativas para hóspedes, em um lugar paradisíaco. O Water Park possui toboágua para crianças, com monitores  especializados e bar molhado que oferece conforto e lazer e muito mais.- Porto Marina Três Lagoas: Ao lado da Ponte do Rio Sucuriú se encontra o Porto Marina Três Lagoas, empreendimento especializado na guarda e manutenção de lanchas e embarcações, proporcionando facilidades aos adeptos de esportes náuticos e pescadores amadores, que não precisam deslocar suas embarcações até o rio. Com serviços especializados como locação de Jet ski, abastecimento, limpeza e todo tipo de manutenção, o Porto Marina Três Lagoas também oferece socorro especializado em caso de pneus em qualquer parte do rio, através de telefone celular, que pega bem no local ou Central VHF Marítimo;Primeira Marina regularizada pela Marinha Brasileira a se instalar no Rio Sucuriú- Balneário Municipal: O atrativo é o segundo equipamento público da Costa Leste MS, ao lado do Balneário Municipal de Anaurilândia.As Praias de areias brancas do Rio Sucuriú ficaram bem mais com os serviços de locação de quiosques, sanitários, quiosques para venda de porções, bebidas, artesanato e “souvenirs”.O local  também conta com quadras poliesportivas e de tênis, além de campos de futebol e vôlei de areia, parque infantil, praça de eventos, e um amplo espaço para banhos nas águas transportes do Rio Sucuriú, um verdadeiro complexo de lazer e entretenimento.O Balneário faz parte do Roteiro Costa Leste do Sol, que oferece diversos tipos de lazer em praias, balneários e esportes náuticos.Balneário Municipal de Três Lagoas - Pousada do Sucuriú: Localizada no Pontal do Faia, região das mais belas praias do Rio Sucuriú, Pousada Sucuriú oferece serviços de locação de apartamentos com ar condicionado, cozinha e banheiro. A Pousada realiza passeios de chalana, onde é possível fazer flutuação, nadar, pescar, ouvir música e também fazer aquele churrasquinho na própria embarcação, o que lhe rendeu o apelido de “Farofeira”. Uma tarde passeando nessa imensidão de água proporciona momentos únicos para quem gosta de admirar a natureza.- Marina Iate Clube Urubupungá: Embora a Marina fique na margem paulista  do Lago de Jupiá, aproximadamente com Três Lagoas, permite uma excelente integração com os atrativos da Costa Leste MS. Empreendimento único na região, a Marina oferece serviços de guarda e manutenção de embarcações dos mais diversos tipos, mas o que chama a atenção é a oportunidade de praticar esportes náuticos como canoagem, esqui aquático, vela e mergulho autônomo. São esportes realmente diferentes e que estão ao alcance de todos na Marina, dos mais experientes aos mais leigos, já que o Paulo, líder dessa trupe, oferece cursos de todas essas modalidades, permitindo a qualquer pessoa velejar e mergulhar na imensidão das águas do Rio Paraná. O local também oferece serviços de bar e restaurante nos fins de semana. Durante a semana, somente quando agendado com antecedência.Marina Iate Clube Urubupungá - Ranchos para Locação: Nos mais de quinze loteamentos nas Praias do Sucuriú há milhares de ranchos, sendo algumas dezenas oferecidas para locação. Há opções de ranchos rústicos ou sofisticados, com boa infra–estrutura de quiosques com churrasqueiras, quartos com ar condicionado e mobília completa.- Lagoa Maior: Reurbanizada no fim da década de 90, a Lagoa Maior apresenta um belo visual panorâmico. Esporte como vôlei de areia, basquete, futebol de salão, vôlei de quadra e futebol society podem ser praticados no centro poliesportivo da Lagoa Maior. No local também há pista de cooper e pista de street skate. Uma ilha de reprodução da fauna e flora (ninhal) possibilita boas chances de observação de pássaros e a pesca amadora é permitida em suas margens.   Lagoa Maior Pontos Históricos:- Relógio Central: construído em 1936, no segundo mandato administrativo do Prefeito Bruno Garcia, foi preservado por geração, é chamado de "o senhor do tempo". Localizado no Centro da Cidade, tem uma altura de dez metros. Em 1982, o então Prefeito Lúcio Queiroz Moreira decretou seu tombamento.Relógio Central - Igreja de Santo Antonio: foi erguida pela colônia portuguesa em 1914 e declarada monumento público em 1931. Recebeu a visita, no natal de 1914, do D. Pedro de Alcantara de Orleans e Bragança, filho de Princesa Isabel e de Gastão de Orleans, Conde d'Eu.Conhecida também como a “Igrejinha do Pretinho Aleijado”, em razão da lenda que cerca este atrativo, servindo como fonte de inspiração para poetas e cantores. Conta-se que após a morte do Pretinho Sineiro o sino ainda teria tocado sozinho no horário de costume.O tombamento tem sido tomado mera declaração de intenção de preservar um bem, sem maiores consequências. Foi pensando nisso que o ex-prefeito Dr. Lúcio Queiroz Moreira, através de um decreto assinado em maio de 1982 efetuou o tombamento da Igreja Santo Antônio;- Ferrovia NOB: construída na primeira metade do Século XX. Seu traçado ainda liga a região central do estado de São Paulo, a partir de Bauru, até a divisa com a Bolívia em Corumbá.  Faz integração com a rede ferroviária boliviana até Santa Cruz de la Sierra, além de haver um ramal de Campo Grande (estação Indubrasil) a Ponta Porã.O início das construções datou de 15 de novembro de 1905. Os trabalhadores da ferrovia acamparam ao redor de uma lagoa, a maior das três e o local recebeu o nome de “Formigueiro”. Em 1910, a ferrovia passou por Três Lagoas e, em 1911, o acampamento instalado às margens da Lagoa Maior, motivaram a edificação de inúmeras moradias, sempre à volta daquela lagoa.A “Empresa Construtora Machado de Melo & Cia.”, localizou a sua primeira estação em território mato-grossense às margens das “Três Lagoas”.Em 1914, foi concluído o trecho Bauru – Porto Esperança. Porém, ela só seria considerada completa no ano de 1925, sendo inaugurada em 12 de outubro de 1926.Ferrovia Nob - Obelisco: tombado em 1982 pela prefeitura. Simboliza um sonho da cidade: a construção de uma feira de gado, o que, por questões políticas, não foi realizado;- Cemitério dos Soldados: o jazigo é uma homenagem ao soldado José Carvalho de Lima, morto em episódio do Tenentismo de 1924 e a quem se atribui milagres. É muito visitado por devotos;Cemitério do Soldado - Jatobá: possivelmente a primeira árvore tombada como patrimônio público em Mato Grosso do Sul, por Lúcio Queirós Moreira. Árvore de grande valor histórico, existente desde as primeiras colonizações da cidade. Antigamente, a região próxima ao Jatobá era má vista pelas damas da sociedade, visto que ao seu redor encontravam-se prostíbulos. Os homens iam nestas casas e deixavam seus cavalos amarrados no Jatobá, na volta contavam suas proezas.Serviu como ponto de referência na época da construção da Estrada de Ferro ( NOB.), na década de 10.  Tombado pelo Patrimônio Histórico em 1982, na gestão do Prefeito Dr. Lúcio Queiroz. Está localizada na Avenida Filinto Müller.- Ponte Ferroviária Francisco de Sá: sobre o Rio Paraná: demorou 15 anos para começar a ser construída. Inaugurada em 1926 pela antiga Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, mede 1024 metros de comprimento. Liga os estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo;- Centro Cultural Professora Irene Marques Alexandria: Prédio que abrigou a primeira loja maçônica de Três Lagoas. Local onde a comunidade pode se beneficiar de atividades artísticas, culturais e sociais, como cursos, palestras, workshops, cineclube, clube de xadrez, exposições, oficinas das mais variadas técnicas, folclore e teatro.- Colônia de Pescadores do Jupiá: Vila de pescadores às margens do Rio Paraná. Excelente local para pescarias ou compra de pescados. Melhor local para locação de barcos e contratação de piloteiros. Na prainha de Jupiá, também são realizados eventos.Vila de pescadores às margens do Rio Paraná. Excelente local para pescarias ou compra de pescados. Melhor local para locação de barcos e contratação de piloteiros. Na prainha de Jupiá, também são realizados eventos.- Usina do Jupiá: A Usina Hidrelétrica Engenheiro Souza Dias (Jupiá) foi construída com tecnologia inteiramente brasileira em 1974. Está localizada no Rio Paraná. A usina dispõe de eclusa, que possibilita a navegação no Rio Paraná e a integração hidroviária com o Rio Tietê ligando a cidade diretamente ao porto de Santos. Com o início de suas obras em 1961, município de Três Lagoas teve seu segundo grande impulso de crescimento. Inaugurada em 1974, faz parte do Complexo Hidrelétrico de Urubupungá, o maior do mundo, formando o lago dos Rios: Paraná e Sucuriú. Em 1998, iniciou a operação de Eclusagem da Hidrovia Tietê Paraná ( a maior em operação no país ).Usina do Jupiá - Casa do Artesão: encontram-se peças de cerâmica que podem ser pintadas de forma colorida, ou não, muitas vezes representando animais da região e do Pantanal. Estes trabalhos apresentam detalhes em madeiras da região.
quinta-feira, 4 de junho de 2020 - Gastronomia
Receita da Chipa Paraguaia
A chipa, como outros pratos típicos de Mato Grosso do Sul, vem do Paraguai.A chipa Paraguaia completa a tríade campeã que veio da culinária paraguaia e se tornou popular em MS.É tipo um pão de queijo (com mais queijo) e o formato é um “U”. Ingredientes:2 ovos400 g de polvilho doce100 g de margarina15 g de fermento em pó500 g de queijo minas raladoSe o queijo não for salgado colocar 10 g de salLeite Modo de preparo:  Coloque os ovos a margarina, fermento em pó, o queijo ralado e o polvilho em um recipiente e misture bemColoque o leite em pequenasquantidades até a massa chegar ao pontoO ponto é quando a massa não gruda mais nas mãosFazer porções em formato de ferraduras, com cerca de 30 g cada umaColoque a massa da chipa em formas untadas com manteiga e leve ao forno previamente aquecido, a mais ou menos 180ºCDeixe assar por 15 a 20 minutos
quinta-feira, 4 de junho de 2020 - Gastronomia
Pizza Pantaneira
Que tal pro lanche da tarde uma Pizza tipicamente Pantaneira?? Ingredientes:01 disco de pizza semi pronta;300 g de queijo mussarela300g de carne seca em fiapo¼ de molho de tomate250 g de queijo cheddar2 bananas da terra frita em cubinhosOrégano, cebola e sal a gostoGostou da sugestão?? Compartilha com seus amigos!!
quinta-feira, 4 de junho de 2020 - Artistas
Helena Meirelles - Violeira Pantaneira
Umas das figuras mais marcantes do nosso estado, Mulher, Pantaneira e um pouco esquecida nos dias de hoje, Helena Meirelles. A Diva da Viola Caipira nasceu em Bataguassu - MS, em 13 de agosto de 1924, tendo sido criada na fazenda do seu avô paterno entre os peões, no meio do Pantanal Sul-Mato-Grossense, e com eles aprendeu a beber, mascar fumo e gostar da viola.Sua música é reconhecida pelas pessoas do Mato Grosso do Sul, como expressão das raízes e da cultura da região. Sua primeira apresentação profissional em um teatro foi quando tinha 67 anos, e gravou dois discos em seguida.  O reconhecimento artístico só aconteceu em 1993, quando a revista norte americana “Guitar Player” elegeu Helena Meirelles, aos 69 anos de idade, como Instrumentista Revelação do Ano ( com voto de Eric Clapton).A publicação norte americana comparou Helena Meirelles a Keith Richards, guitarrista do Rolling Stones, e a Eric Clapton. Numa destas injustiças difíceis de serem explicadas, a valorização de nossa maior violeira aconteceu primeiro no exterior e depois aqui no Brasil. Analfabeta, autodidata, benzedeira, parteira, lavadeira e apaixonada pelo pantanal, assim foi Helena Meirelles, uma mulher de fibra, dona de um talento musical inquestionável. Dizia ela com poesia, “quando escuto um burro urrar ou um toque de berrante, dá vontade de voar no vento e cair no meio da boiaderama”.Contra-capa do Cd gravado com Sérgio Reis - Raiz Pantaneira Faleceu aos 81 anos, em 28 de setembro de 2005 na cidade de Campo Grande, vítima de parada cárdio-respiratória e deixou 11 filhos. Foto de Daniel Granville Foi eleita uma das 100 melhores instrumentistas do mundo, por sua atuação na viola de seis, oito, dez e doze cordas.
Página 6 de 16